Long bob, o queridinho!

Tendência há alguns anos, o chanel comprido é a aposta certeira para quem quer mudar o visual sem radicalizar

cabelo médio

O cabelo é uma extensão das nossas ideias: quando mudamos algo dentro de nós, dá aquela vontade louca de transformar algo no exterior também. Acredito que seja por isso -- e não só pela praticidade -- que muitas mulheres, com o passar dos anos, deixam para trás rapunzel-donzela-adolescente e investem nos curtos e médios. 

Longo x médio
Os longos transmitem ar de feminilidade e romantismo, mas também dependência de aceitação social e submissão, segundo o visagista Philip Hallawell: "por isso que as igrejas querem mulheres de cabelo comprido" (nunca tinha pensado por esse lado, mas faz sentido, não é?). 

Os curtos e médios, por sua vez, demonstram segurança e personalidade, além de ter efeito lifting. As linhas do comprimento longo fazem com que as feições pareçam caídas. Os médios redirecionam o olhar para cima e dão um aspecto mais jovem. 

Long bob democrático
As divas hollywoodianas já ostentavam os fios médios nas décadas de 1950 e 1960. Vimos uma releitura do corte no tapete vermelho em 2014, e muita gente seguiu a onda e aderiu ao comprimento. Mas o lob (sigla para long bob) é atemporal e democrático. É pra todo tipo de rosto, cabelo e idade. Para a alta executiva e para a artísta plástica. E ainda por cima, é prático e charmoso.

corte long bob modelos
Imagens: reprodução.

Cortei os meus em janeiro (contei um pouco neste post) e meu único arrependimento foi não ter cortado mais! Agora já estão compridinhos e não vejo a hora de marcar salão! Conselho de amiga: se você se sente preparada pra se libertar da ditatura da mocinha, se joga na tesoura!

Daniela

@trintaria